Amor Fora Da Lei – Capítulo 4

Eu me enrolei na toalha e fui atender a porta e ao me ver ele me olhou de cima a baixo.

Eu – William o que você veio fazer aqui a essa hora?

William – Quero falar uma coisa com você. Disse ele sério.

Eu – Bem…pode falar…

William – Fiquei sabendo que o Ticão te botou em um cargo de confiança…

Eu – E o que você tem haver com isso?

William – Você é muito marrento hein…sei bem como tirar essa marra…

Eu – O que disse?

Eu não estava gostando nem um pouco desse joguinho do William e decidi falar logo tudo de uma vez.

Eu – Olha cara…eu tô cansado pra caramba,outro dia a gente conversa. Disse fechando a porta na cara dele.

Eu – Era só o que me faltava…um mané desses pra encher a minha paciência,mas eu vou ter que tomar cuidado com ele e principalmente com o Pirata. Disse sozinho.

Alguns Dias Depois

Finalmente havia chegado o sábado e eu estava de folga,o trabalho de “segurança“ na casa onde eram produzidas as drogas era bem tranquilo e eu aproveitei que eu estava trabalhando ali para fotografar o local onde eram produzidas as drogas.

Flash Back On

Era uma quinta-feira a noite e não tinha mais ninguém trabalhando dentro da casa,apenas os seguranças que estavam do lado de fora.

Eu aproveitei um momento de distração deles e entrei pelos fundos da casa.

Eu – Caramba…

Havia uma quantidade enorme de drogas ali dentro e eu fotagrafei o máximo de coisas que eu pude sempre tomando muito cuidado,pois aquelas fotos serviriam como prova.

Flash Back Off

Agora no meu sábado de folga o Rodrigo estava tomando uma cerveja comigo na minha casa,o Rodrigo era um dos traficantes da facção era bem jovem e tinha o corpo magro e definido e cabelo dread. O bom do Rodrigo é que ele fala pelos cotovelos e eu já tinha descoberto bastante coisas sobre a facção através dele.

Rodrigo – Você tem maior cara de playboy.Como que você veio parar aqui na favela?

Eu – Na verdade eu nasci em Goiás e vim aqui pro Rio pra morar na casa de uma mina minha,mas a gente terminou e eu tive uns problemas lá no bairro dela e me mudei pra cá.

Aquela era a história que eu contava para todos que perguntassem.

Rodrigo – Pô cara na moral…eu achava que você era viado.

Eu – O que? Como assim? Perguntei nervoso.

Rodrigo – Você tem jeito de homem e tudo,mas outro dia eu ouvi o William falando pro Pirata que você tinha chupado o pau dele.

Eu – Filho da puta,isso é mentira!

Rodrigo – Se for verdade também eu não tô nem ai,eu não ligo pra essas coisa não.

Eu – O William tá falando isso pras pessoas?

Rodrigo – Claro que não,ele não é maluco,o Ticão detesta fofoca,se uma coisa dessas chega no ouvido dele ele quebra o William na porrada,ele tava falando pro Pirata e eu que acabei ouvindo,aqueles dois lá são cheios de tramoias.

Eu – É…já deu pra perceber.

Assim que o Rodrigo foi embora eu decidi ir tirar satisfações com o William,se ele pensa que vai ficar inventandl coisas ao meu respeito ele tá muito enganado.

Eu já sabia onde o William morava e fui andando até a casa dele e por coincidência eu vi ele saindo pelo portão na hora.

William – Dando mole na minha rua,ruivinho.

Na hora eu dei um soco na cara dele e ele disse.

William – Tá maluco filho da puta!

Eu – Isso é pra você aprender a não inventar histórias sobre mim.

Ele não deixou por menos e partiu pra cima de mim e nós começamos a brigar,até que fomos interompidos por um barulho de tiro e uma voz grossa disse.

– Que porra é essa aqui!!!

O Ticão estava olhando pra nós dois furioso.

Ticão – Posso saber que merda é essa aqui? Ninguém vai me falar não!

William – Não é nada não Ticão…

Ticão – Vem comigo Bruno. Ordenou ele.

Eu – É melhor eu ir pra casa…

Ticão – Eu mandei vir comigo porra!

Eu decidi ir com ele,já que não tinha outro jeito e nós fomos caminhando até a casa do Ticão em silêncio.

Ao chegarmos na sala dele,nós sentamos e ele disse.

Ticão – Posso entender o porquê daquela briga?

Eu – É besteira nossa Ticão,eu prefiro não falar sobre isso.

Ticão – Se não quer falar beleza…o William é meu braço direito aqui e você apesar de ter chegado a pouco tempo é meu amigo também pô.

Eu – Valeu pela consideração…acho qie eu vou nessa agora.

Ticão – Vai porra nenhuma…pode ir sentando esse bundão branco ai pra gente tomar uma cerveja.

Ele foi até a cozinha e buscou uma cerveja pra gente e ao voltar da cozinha ele estava sem camisa,exibindo a barruga definida e os músculos do braço e peitoral e o short fino que ele estava usando deixava o volume dele bem evidente e eu não consegui deixar de olhar e ao perceber que eu estava reparando no físico dele ele deu um sorrisinho de lado e eu logo me repreendi por não conseguir me controlar.

Nós começamos a beber e a falar um pouco sobre a comunidade.

Ticão – Tá tudo muito quieto aqui…a polícia não veio…nenhuma facção rival tentou invadir essas semanas…

Realmente ele estava certo o Morro Da Rosa Branca estava vivendo dias de paz. Enquanto eu estivesse na comunidade a polícia não faria nenhum tipo de operação por lá,mas alguma facção rival poderia tentar invadir a qualquer momento e nós precisaríamos estar preparados.

Ticão – Quando as coisas ficam calmas desse jeito é bom se preparar porque vem chumbo grosso pela frente.

Jean Narrando

Infelizmente eu não poderia sair para lugar nenhum naquele sábado a noite,pois eu estava com uma dificuldade muito grande na matéria de física do pré vestibular e teria que passar a noite estudando.

O Marcos tinha saído com uns amigos da delegacia,enquanto o Diogo estava no quarto se arrumando para ir a uma balada,enquanto eu estava estudando na sala de estar.

Diogo – Vamos curtir a noite um pouco cara.

Eu – Infelizmente não vai dar,eu tenho que aprender essa matéria até segunda-feira.

Diogo – Que matéria é essa?

Eu – Física,o meu pior pesadelo

Diogo – Tá de sacanagem eu sou fera em física,deixa eu ver isso aqui. Disse pegando a apostila da minha mão.

Então ele sentou do meu lado e começou a me ajudar na matéria e ele era bom mesmo,eu estava aprendendo mais com ele do que com o meu próprio professor.

Eu – Caramba você é bom mesmo.

Estudar com ele estava tão divertido que o tempo até passava mais rápido.

Eu – É melhor você ir agora,não quero atrapalhar a sua balada,mas obrigado mesmo.

Diogo – Até desisti da balada,tá mais divertido estudar aqui com você rsrs.

Eu – Você não existe mesmo rsrs.

Diogo – Eu vou trocar de roupa e pedir uma pizza,enquanto você faz o exercício 8. Disse se levantando.

Otávio Narrando

Eu sempre evitava beber,até porque eu estava nessa missão a trabalho,mas dessa vez eu acabei me descontrolando e fiquei um pouco bêbado.

Eu – Eu já bebi demais…acho que tá na minha hora de ir.

Ticão – Já tá tarde,dorme aqui cara.

Eu – Eu não quero atrapalhar não…

Ticão – Que atrapalhar o que,tem um monte de quarto nessa casa.

Ele acabou me convencendo e eu acabei dormindo no quarto de hóspedes dele que era bem espaçoso e com ar condicionado e tudo.

Jean Narrando

Diogo – Já pedi a pizza. Disse ele vindo sem camisa se sentar ao meu lado.

Eu nunca tinha reparado em cara nenhum antes de conhecer o Diogo e eu fiquei mais desconfortável ainda com isso depois de descobrir que ele é bissexual.

Flash Back On

Ainda fazia poucos dias que eu estava no apartamento do Marcos e eu ainda não tinha conseguido ocupar o meu guarda roupa totalmente,pois tinha umas roupas que eu achava ser do Diogo que estavam lá.

Eu – Diogo tem umas roupas suas no guarda-roupa do quarto que eu tô usando e…

Diogo – Aquelas roupas não são minhas não,é que o meu ex namorado costumava guardar umas roupas dele ali.

Eu – Namorado?

Diogo – Eu sou bi,espero que você não tenha problema nenhum com isso.

Eu – Eu não tenho não.

Diogo – Bom saber…

Eu – Mas o seu pai aceitou de boa?

Diogo – Sim,meu pai é bem tranquilão…inclusive eu acho que o meu pai arrasta o maior caminhão pelo seu irmão.

Eu – Pelo meu irmão? Disse surpreso.

Diogo – É ele vive falando o quanto o Otávio é competente,responsável,o quanto ele é legal,inteligente e por ai vai.

Flash Back Off

Enquanto nós estudavamos a campainha tocou.

Diogo – Oba,deve ser a pizza.

Enquanto nós comiamos o Diogo me contava as piadas dele e eu morria de rir.

Eu – Kkkk como você fez isso?

Diogo – Pra falar a verdade nem eu sei kkk.

Derepente nós começamos a olhar um nos olhos do outro e ele disse.

Diogo – Tá sujo aqui ó. Disse colocando a mão na minha boca e me beijando.

No começo eu tentei fugir,mas ele me apertou forte em seus braços e eu acabei me entregando ao nosso beijo.

CONTINUA…

Arrow: O primeiro vilãozinho da história rsrs.

Little Boy: A merda poderia ter sido maior rsrs,além do William o Pirata também dará trabalho.

LKS: Detestei o personagem da Bibi Perigosa,mas vou levar como uma elogio rsrs.

Valtersó: Muitas cartas a serem desembaralhadas e muita gente ainda vai entrar no caminho desses casais

Renato Mota: O ruivo é difícil kkkk

Vit.will: Ele se.safou graças ao Marcos.

Guardian (Eduardo): Entendo o seu ponto de vista,a história é obviamente fictícia,mas eu quero fazer algo o mais próximo possível do real.

Atheno: Emcararia o tapa-olho do Pirata? Kkkk brinks.Beijo querido.

Guigo: Problemas terão aos montes kkk.

Sharon Martins: Que bom que está gostando.

THIrjthiago: Po visto não foi dessa vez rsrs.

Nayarah: O Pirata também dará trabalho

Muito obrigado a todos que estão acompanhando a história, tenho uma alegria imensa em escrever pra vocês.

Amor Fora Da Lei – Capítulo 3

Ticão – Todo mundo passa por esse teste antes de entrar na minha facção.

Eu – E eu tenho que fazer o o que?

Ticão – Você tem que matar um policial.

Ao ouvir aquilo o meu coração acelerou,eu teria que matar um policial,um colega de profissão.

Ticão – E ai tá dentro?

Eu – Pra ontem irmão.

Ticão – Assim que se fala.

Ele sorriu e colocou os braços dele por cima do meu ombro e aquilo me deu um arrepio.

O churrasco e a cerveja rolavam solto,junto com o rap e os funks proibidões que tocavame eu fingia que bebia,pois eu precisava me manter o mais sóbrio possível.Eu já tinha até ganhado um apelido entre a galera,aliás dois apelidos uns me chamavam de ruivinho e outros de cabelo de fogo.

A facção tinha mais ou menos trinta homens,quem eu mais me aproximei de primeira foi o Ticão(propositalmente) e além dele eu fiquei bem próximo do Rodrigo e do Batata.

O Rodrigo tinha uns 30 anos,negro alto e com os cabelos dread,já o Batata tinha 25 anos,moreno e meio gordinho.

Os únicos com os quais eu não tinha simpatizado foram o William pelas olhadas descaradas que ele dava pra minha bunda e o outro com o qual eu não simpatizava era o Pirata,ele tinha esse apelido devido ao tapa olho que ele usava no olho esquerdo,fruto de uma facada que ele levou no olho,por ter mexido com a mulher do chefe da antiga facção que ele fazia parte.O Pirata era o mais velho do grupo com 40 anos de idade,era moreno e tinha o corpo bem musculoso e peludo,de cara eu percebi que ele era o mais esperto do grupo,então eu teria que ter cuidado redobrado com ele.

O Batata estava tomando conta da churrasqueira e ele disse.

Batata – Que porra hein,sumiram com o sal de novo!

Eu – Deixa que eu vou lá buscar.

Batata – Vai lá ruivinho.

Para entrar na cozinha eu tive que passar pelo William e pelo Pirata que estavam conversando em um canto e como sempre o William ficou de olho na minha bunda,enquanto eu caminhava.

Eu fui até a cozinha buscar o sal grosso na cozinha e na volta antes que eu abrisse a porta para sair eu ouvi o William e o Pirata conversando sobre mim e decidi ficar atrás da porta para ouvir a conversa.

Pirata – Como é que é essa porra o branquelo mal chegou no bonde e já virou membro tá amiguinho do Ticão e tudo.

William – Eu também estranhei o Ticão nunca deixou alguém entrar na facção assim tão rápido,mas pra ter feito isso ele deve ter sentido firmeza no cara.

Pirata – Achei ele muito mauricinho pro meu gosto.

William – Já viu aquele rabão de puta dele comia fácil hahaha.

Pirata – Caralho tu ainda tá nessa de comer viado,que vacilão kkk.

William – Velhos hábitos nunca mudam kkk.

Pirata – Mas pode ir tirando o seu cavalo da chuva,pois de viado aquele lá não tem nada,ele é muito marrentinho até.

William – Tenho minhas dúvidas colega…ontem mesmo no baile,ele foi pra casa sozinho,sendo que tinha um monte de piranha dando mole pra ele.

Pirata – E quem garante que o cara saiu sozinho mesmo? Mas se bem que se ele fosse viado eu dava uma metida aquele rabão e olha que eu nem sou chegado kkkk.

William – Tô só observando o proceder do cara pra depois meter a piroca nele kkk.

As minhas previsões estavam certas,eu teria que tomar cuidado redobrado com aqueles dois,depois que eles mudaram de assunto eu sai pela porta e eles tomaram um susto ao me ver e eu fiz questão de encarar eles com uma cara nada boa e eles ficaram quietinhos.

Batata – Demorou com esse sal hein.

O churrasco rendeu a tarde inteira e aos poucos as pessoas foram saindo e os últimos a sair fomos eu e o William.

Quando eu fui me despedir do Ticão o William ainda estava na cozinha.

Eu – Valeu pelo churrasco Ticão.

Ticão – Valeu Bruno…cola(aparece) aqui em casa amanhã de manhã pro seu teste.

Eu – Tranquilo.

Eu me despedi dele com um aperto de mão e um abraço rápido e desci o morro em direção a minha casa.

Eu não conseguia tirar aquele teste absurdo de matar um policial da minha cabeça e por isso quando deu por volta das 11 da noite eu fiz uma vídeo chamada para o Marcos.

Marcos – Que cara é essa de preocupado? Alguma coisa saiu do controle?

Eu – Não…é que amanhã eu vou ter que fazer um teste que…

Marcos – Já vai fazer o teste? Então você conseguiu virar um membro rápido.

Eu – Você já sabe do plano?

Marcos – Eu sei…você vai ter que matar um policial.Quando vai ser o teste?

Eu – Amanhã de manhã.

Marcos – Eu já falei com uns policiais do Rio e montei um plano,amanhã pela manhã um policial militar vai ficar dando sopa perto do morro,ele vai ser capturado.

Eu – Tá mais qual é o resto do plano?

Marcos – Esse policial vai estar usando um equipamento que vai proteger o torço dele e quando e você vai atirar bem no abdômen dele onde há uma bolsa de sangue,a morte dele vai ser simulada…a única parte difícil do plano é fazer com que ele deixe você descartar o corpo sozinho.

Eu – Tudo bem…eu entendi…tomara que dê tudo certo.

No dia seguinte pela manhã eu já acordei apreensivo e o Marcos me enviou uma foto do policial que eu deveria capturar.

Eu e Ticão descemos o morro e o policial que faria parte do plano estava bem na frente do morro dando.

Ticão – Olha só um cu azul dando sopa por aqui…foi mais fácil.do que eu pensei.

Nós fomos até o policial e eu dei um soco no rosto dele e ele fingiu ter desmaiado e nós o levamos até um galpão que tinha no morro.

Eu amarrei ele em uma cadeira e ele fingiu ter acordado.

Ele – O que eu tô fazendo aqui? Não me matem pelo amor de Deus.

Ticão – Tarde demais vacilão…quem mandou ficar dando sopa perto da minha favela? Pode mandar braza Bruno.

Eu dei um tiro no abdômen dele e o sangue espirou para todos os lados e ele caiu “morto“.Eu fingi checar o pulso dele e disse.

Eu – O filho da puta tá morto.

Ticão – Maravilha…agora vamos queimar o corpo dele.

Eu – Deixa que eu me livro dele sozinho.

Ticão – Vou te dar essa moral só dessa vez ruivinho,não acostuma não.

Então eu levei o corpo do policial até uma floresta que tinha perto do morro.

Ele – Graças a Deus deu tudo certo.

Eu – Você foi muito corajoso.Obrigado por ter topado.

Ele – Tudo pela causa…agora eu tenho que ir. Disse ele correndo e sumindo no meio das árvores.

Depois de toda aquela tensão que eu passei eu fui caminhando tranquilamente até a minha casa,quando eu fui surpreendido pelo Ticão que apareceu do nada na minha frente e eu acabei levando um susto.

Eu – Caralho que susto!

Ticão – Kkkk achou que fosse a alma penada do policial? Kkkk.

Ticão – Gostei do seu proceder hoje.Pode descansar hoje e apareça lá em casa amanhã cedo que eu vou te mostrar o teu trabalho.

Jean Narrando

Desde que o meu irmão partiu para essa missão no Rio De Janeiro que eu estava na casa do Delegado Marcos,o filho deve,o Diogo,estava viajando no final de semana,então estávamos apenas eu e Marcos na casa.

Na segunda-feira eu acordei cedo,pois eu teria o meu primeiro dia de aula no curso pré vestibular,pois eu pretendia passar para a faculdade de odontologia e para isso eu teria que estudar muito.

O primeiro dia foi bem tranquilo até e bem discontraído e eu acabei almoçando na rua mesmo e ao chegar no apartamento do Marcos eu me assustei ao ver um homem de toalha na sala e nós dois levamos um susto.

Ele – Você deve ser o Jean,o meu pai me falou de você.Disse ele me estendendo a mão.

Eu apertei a mão dele e disse.

Eu – Então você é o Diogo.

Ele era um cara bem bonito,branco dos cabelos pretos e barba por fazer e com músculos bem desenvolvidos para um cara de 20 anos e por um momento eu me repreendi por estar reparando tanto em outro homem.

Diogo – Eu tinha esquecido o meu desodorante aqui na sala,eu vou lá trocar de roupa e volto pra almoçarmos juntos.

Eu – Eu já almocei na rua,mas eu te acompanho sim.

Depois que ele se vestiu nós ficamos conversando na cozinha,enquanto ele almoçava e ele me contou que estava fazendo faculdade de direito e que pretendia ser juíz e eu percebi que nós seríamos grandes amigos.

Otávio Narrando

Na terça-feira de manhã eu fui até a casa do Ticão e ele já estava me esperando no portão.

Ticão – Demorou hein cabelo de fogo.

Nós fomos até uma casa que ficava em um cantinho bem escondido do morro e o Batata estava em frente a casa segurando um fuzíl.

Batata – E aê rapaziada.

O Ticão entrou na casa e pegou um fuzíl e me entregou.

Ticão – É nessa casa que a nossa mercadoria(drogas) é produzida,então por enquanto você vai ficar aqui junto com o Batata fazendo a segurança.Os garotos que trabalham ai dentro tem que ser revistados antes de entrar e depois que saírem da casa e o único que pode entrar ai dentro além de vocês dois sou eu.Entendeu?

Eu – Entendi.

Depois que o Ticão saiu o Batata disse.

Batata – Tá podendo em colega.

Eu – Como assim?

Batata – Esse cargo aqui é de extrema confiança,pro Ticão te botar aqui é porque ele confia em você e olha que demorou anos pra ele me botar pra trabalhar aqui hein.

Então o Ticão confia em mim…bom saber disso.

Depois de termos revistado todo o pessoal que trabalhava ali dentro,nós permitimos que eles saissem de noite e os caras que faziam a segurança pela noite chegaram.Todos de extrema confiança do Ticão.

Ao chegar em casa eu fui tomar um banho e enquanto eu estava no chuveiro eu ouvi batidas na porta.

Eu – Já vai!

Eu me enrolei na toalha e fui atender a porta,ao me ver ele me olhou de cima a baixo.

Eu – William o que você veio fazer aqui a essa hora?

William – Quero falar uma coisa com você. Disse ele sério.

CONTINUA…

Amor Fora Da Lei – Capítulo 2

Eu me chamo Gilson Santos,mas sou conhecido por todos como Ticão,hoje em dia eu sou temido e respeitado por todos no Morro Da Rosa Branca,mas nem sempre foi assim.

Eu sempre fui filho de mãe solteira e não fazia a mínima ideia de quem era o meu pai,a Dona Rosa sempre foi uma mulher muito guerreira e sempre se virou para me criar sozinha,mas a minha vida virou uma desgraça desde que a minha mãe foi assassinada pela a raça mais desgraçada desse mundo,a polícia.

Flash Back On

Eu tinha apenas 8 anos de idade,quando mais um tiroteio entre policiais e traficantes acontecia no nosso morro que na época se chamava apenas Morro Da Pedra Branca,sempre que tinha esses tiroteios os traficantes se escondiam na casa dos moradores e nós tinhamos que dar abrigo para eles.

Nesse dia quem pulou a janela lá de casa foi Igão,membro de uma antiga facção que tomava conta do morro.

Igão – Dona Rosa eu vou ter que me esconder aqui não tem jeito.

Mãe – Tu não toma jeito em menino,se esconde ai.

Enquanto o tiroteio comia solto do lado de fora nós ouvimos umas batidas fortes na porta.

Igão – Fudeu é os polícia.

Mãe – Sai pela janela do quarto do Gilson.

Mal o Igão saiu e a porta foi arrombada pelos policiais.

Mãe – Moço eu tô sozinha com o meu filho pelo amor de Deus.

Policial – A senhora tá escondendo traficante que eu sei. Disse ele puxando ela pelos cabelos.

Mãe – Eu não tô escondendo ninguém não seu polícia.

Eu – Solta a minha mãe seu filho da puta. Disse chutando a perna dele.

Policial – Tá querendo morrer pivete? Disse ele apontando a arma pra minha cabeça.

Mãe – Não faz nada com o meu filho pelo amor de Deus. Disse ela chorando.

Policial – Então você vai no lugar dele

Ao dizer isso ele atirou na testa da minha mãe e matou ela na minha frente.

Desde aquele dia que eu passei a odiar aquela raça e jurei que iria matar todos eles.

Depois que a minha mãe foi enterada eu fui morar com uma tia minha que já tinha outros 8 filhos e eu ajudava na renda de casa vendendo cloro pela rua.

Aos 12 anos eu tive o meu primeiro contato de perto com o tráfico,quando um dos traficantes me pediu um favor ao me ver descendo o morro.

Ele – Opa muleque,cê tá descendo morro?

Eu – Tô sim…

Ele – Leva esse pacotinho pra mim.

Eu comecei como aviãozinho e logo o dinheiro subiu a minha mente e eu me tornei um dos membros da facção e hoje aos 29 anos de idade sou o chefão do Morro Da Rosa Branca,eu mudei o nome do morro a alguns anos atrás em homanagem a minha mãe,Dona Rosa.

Flash Back Off

Vida de chefe não é fácil,eu posso morar em uma mansão no topo do morro e ter todas as mulheres aos meus pés,mas também tenho muitas responsabilidades,sou eu quem mantenho a creche do morro que foi montada por mim e eu gosto de controlar tudo o que acontece na minha área.

Fisicamente eu me considero um cara bonito,sou negro,1,98 de altura,olhos pretos,cabelo cortado na máquina 1 e sou bastante musculoso devido aos exercícios que eu faço.

Durante toda quinta-feira a noite eu tinha fudido com a Taís,ela é uma mulher bem bonita,morena dos olhos verdes,um corpão violão e cabelos longos e cacheados.Ela vivia no meu pé,mas não era mulher o suficiente pra mim,aliás mulher nenhuma era suficiente pra mim,o meu coração se fechou quando eu tinha 19 anos.

Flash Back On

Eu ainda nem era chefe do morro,quando eu conheci a Carla,eu fiquei apaixonadão por ela e depois que ela ficou grávida de mim e eu cogitei até em largar a vida do crime e ir viver com ela e com o meu moleque,quando ela foi com a mãe dela para o hospital no dia do parto eu fiquei super feliz,pois finalmente conheceria o meu moleque,eu não fui até o hospital,pois a gente que é traficante não pode sair do morro.

A minha vida acabou,quando o irmão dela veio de noite me contando a notícia de que ela havia morrido no parto e o meu filho morreu poucos minutos depois.

Flash Back Off

Eu até sentia vontade de colar com uma mulher maneira pra ter uns dois ou três muleques,mas nenhuma chegaria aos pés dela.

Naquela sexta de manhã,eu estava na varanda da minha casa que tinha vista pro resto do morto,pra zona sul e pro mar no fundo e derepente o meu braço direito,William,entrou.

William – E aê Ticão.

Eu – Fala vacilão.Tudo firme pro baile de amanhã?

William – Mais firme que isso só o meu pau kkk.

O William é meio maluco,mas é um cara. gente boa,ele tem 21 anos,é mulato,1,80 de altura,tinha os músculos bem definidos e o corpo cheio de tatuagens.

Eu – Mas vem cá tu veio aqui só pra falar merda foi?

William – Vim te contar uma novidade.

Eu – Qual foi mané para de mistério e fala logo.

William – Tem morador novo na área.

Eu – Morador novo? Já viu o sujeito?

William – Já vi é um ruivinho…quer que eu vá falar com o sujeito?

Normamente eu deixava essa tarefa de falar com os novos moradores para algum dos meus homens,mas daquela vez eu achei melhor eu mesmo fazer aquilo

Eu – Me passa o endereço do sujeito que eu vou lá mais tarde.

Otávio Narrando

Lá estava o tal Ticão com toda a sua imponência bem ali na minha frente.

Ticão – Tô precisando levar um papo contigo irmão.

Eu – Tranquilo cara…pode entrar.

Ele entrou e nós nos sentamos no sofá.

Eu – Você é o chefe aqui da área?

Ticão – Sou eu sim…o famoso Ticão e já tô sabendo que você se chama Bruno que a Joana me falou.

Pois é a partir de agora eu me chamo Bruno.

Ticão – Você trabalha em que?

Eu – Ah…eu me viro em tudo.

Ticão – Tô sacando a tua já…veio pra minha favela pra entrar pro movimento(tráfico) quero observar o seu proceder antes.

Ticão – Bem mano…tô indo nessa…

Eu – Fica mais um pouco cara…vamos tomar uma cerveja.

Ticão – Opa cervejinha ai sim senti firmeza rsrs.

Eu peguei uma garafa de cerveja pra mim e outra pra ele e nós bebemos no gargalo mesmo.

Durante todos esses anos na polícia eu aprendi muito bem como envolver as pessoas e como deixa-las avontade para arancar informações delas e conforme nós conversavamos eu inventei uma história de vida para contar pra ele e ele me contou a histôria de vida dele.

Ticão – É por isso que eu odeio essa cambada de cu azul(policiais) todos tem que morrer.

Eu – Você já matou muitos policiais.

Ticão – Já até perdi as contas kkkk.

Quando deu mais ou menos 11 da noite o Ticão se despediu.

Ticão – Agora eu vou nessa mesmo.

Eu – Eu te levo até a porta.

Eu abri a porta pra ele e ele disse.

Ticão – Até que você é maneiro,cabelo de fogo…vai ter um baile amanhã no barracão em frente a minha casa,aparece lá.

Eu – Eu vou sim.Valeu.

Depois de me despedir do Ticão eu tomei um banho e fui deitar e antes que eu pegasse no sono eu recebi uma ligação do Marcos.

Marcos – Como andam as coisas ai?

Eu – Eu já conheci o Ticão,tô achando até que o cara simpatizou comigo.

Marcos – Ótima notícia…e o seu plano de entrar pra facção?

Eu – Tá andando…creio que dentro de alguns dias eu consiga.

Eu – Mas mudando de assunto…como é que o Jean está ai?

Marcos – Ele já foi dormir…ele é um ótimo garoto,não tem com o que se preocupar.

Eu deitei pra dormir e não consegui deixar de pensar em tudo que eu vivi nas últimas horas e fiquei pensando no Ticão também,ele é um cara bonito eu não posso negar,além disso é gostoso.

Eu – Que isso Otávio foca no plano,amanhã eu vou nesse baile e vou me tornar o novo membro da facção.

Naquele sábado eu tinha acordado um pouco tarde e decidi preparar uns ovos mexidos para o café da manhã.Durante a tarde eu sai para comprar umas coisas para preparar o almoço e ao chegar em casa com as sacolas que eu lembrei que eu não tinha comprado nada para beber.

Eu – Caramba esqueci do refrigerante.

Então eu fui até um bar que tinha ali perto e comprei o refrigerante e percebi que naquele bar haviam três homens armados com fuzís e um deles,um mulato cheio de tatuagens,não parava de me olhar,e ficou bem óbvio que era um olhar de desejo,quem sabe eu não pudesse usar essa arma no futuro…

Eu almocei sozinho e passei o resto do dia anotando estratégias,pois o que estava prestes a vir não seria fácil,eu como policial seria membro de uma facção criminosa e teria que investiga-los ao mesmo tempo.

Quando anoiteceu eu tomei um banho e me arrumei,partindo para o baile funk logo em seguida.

Ao chegar no local eu confesso que fiquei meio desconfortável com o som extremamente alto e aquele bando de pessoas tumultuadas,mas tentei fingir que eu estava no meu ambiente,até que eu ouço um assovio e vejo o Ticão me chamando para subir no camarote e lá fui eu.

O camarote era menos tumultuado que a pista e lá estava o Ticão com os capangas dele e as piranhas que os acompanhavam.

Ticão – E aê Bruno,já vou te apresentando pra galera pra você se enturmar.

Ele me apresentou um a um até chegar no cara que tinha me encarado no bar.

Ticão – Esse aqui é meu braço direito o William.

William – Fala ai cabelinho de fogo.

Eu – Aê mano.

Todos ali estavam curtindo e eu comecei a dançar com uma garota só pra disfarçar,mas continuava focado no Ticão,até que a música para e o William dá 2 tiros pro alto e o Ticão fala pro baile inteiro ouvir.

Ticão – A Rosa Branca agora tem outro irmão. Disse apontando pra mim.

William – É comando porra!

A festa rolou solta e eu não conseguia me desligar um minuto do Ticão,não apenas por causa do plano,eu me sentia desconfortável de ver ele se esfregando com uma periguete lá,mas logo tentei espantar esses pensamentos da minha cabeça.

Quando já eram mais ou menos 3 da manhã eu decidi ir pra casa de vez,pois daquele mato não sairia mais coelho por hoje.

Ticão – Já vai embora cara?

Eu – Vou sim..eu quase não dormi esses dias e agora bateu o cansaço.

Ticão – Aparece lá em casa amanhã que vai ter um churrasco daqueles com direito a piscina e tudo.

Eu – Pode deixar que eu vou aparecer lá sim.

Eu fui caminhando até a minha casa e eu estava com a sensação de estar sendi seguido,mas sempre que eu olhava pra trás eu não via ninguém.

No dia seguinte era um domingo de sol no Rio De Janeiro e como o churrasco do Ticão seria na piscina eu fui sem camisa mesmo e com um short de banho prero e curto e ao chegar lá quem abriu a porta pra mim foi o William.

Eu fui até a área da piscina e o Ticão veio na minha direção vestindo apenas um short de banho e foi impossível não reparar no tanquinho dele e nos músculos bem feitos e por um segundo eu acho que ele percebeu que eu estava secando ele.

Ticão – Fica avontade na nossa festa ai ruivinho,hoje é só a rapaziada.

Reaente era só a rapaziada,pois eu reparei que não haviam mulheres naquela festa.

Eu fui nadar na piscina e em seguida o Ticão mergulhou também.

Ticão – Amanhã você vai passar pelo seu teste. Disse ele,enquanto estavamos sentados na borda da piscina.

Eu – Como assim teste?

Ticão – Todo mundo passa por esse teste antes de entrar na minha facção

Eu – E eu tenho que fazer o que?

Ticão – Você tem que matar um policial.

CONTINUA…

Amor Fora Da Lei – Capítulo 1

Nós havíamos recebido o telefonema de uma loja que foi arromabada por um bandido logo pela manhã,um dos vizinhos que presenciou o arombamento fez a denúncia e eu e o meu “amigo“ Luiz pegamos a viatura e fomos correndo até o local.

Como já era de ser esperar a rua estava vazia e o bandido agora pegava algumas roupas da loja e colocava em uma sacola,pois provavelmente já tinha pego o dinheiro do caixa.

Eu – Mãos pro alto meliante!

Ele se assustou com a nossa presença e apontou a arma na nossa direção.

Luiz – Coloca essa arma no chão agora antes que eu estoure os seus miolos!

O ladrão colocou a arma no chão lentamente e em um momento de distração meu,ele chutou a minha arma que caiu no chão e eu passei uma banda nele o imobilizei e algemei o bandido.

Luiz – Acabou a sua festa feioso.

Nós colocamos ele na viatura e o levamos até a delegacia.

Já eram 10 da manhã e Luiz e eu estavamos tomando um café na sala dos policiais.

Luiz – Você foi rápido hoje hein…gostei de ver.

Eu – Eu sempre sou rápido.

Luiz – Esse seu jeitinho convencido me deixa com maior tesão sabia? Disse ele sussurando e apertando o seu pau por cima da calça.

Eu – Quantas vezes eu vou ter que te dizer pra não falar sobre essas coisas aqui no trabalho.

Luiz – Calma pra quê essa marra toda,faz tempo que a gente não se encontra pra brincar um pouco…tava com saudades só isso…

Eu – Você sabe que eu não quero nada fixo com ninguém.

Luiz – Mas eu quero com você…caramba Otávio tem horas que eu não te entendo.

– Eu tô enganada ou eu tô interompendo uma DR? Disse a nossa colega policial Paolla falando.

Luiz – Que nada…nós estavamos falando sobre umas coisas do trabalho.

Paolla – Sei…o delegado vai fazer uma reunião depois do horário do almoço e quer que vocês dois estejam presentes…vou nessa agora. Disse ela saindo.

Paolla era um ótima colega de trabalho,além de ser bastante bonita com os seus cabelos loiros e 1,80 de altura,já o Luiz era uma espécie de amigo colorido,ele é um cara bem bonito também 1,80 de altura,moreno e bastante musculoso.

Depois que a Paolla saiu eu disse.

Eu – O meu irmão vai dormir na casa da namorada hoje,depois do expediente você passa lá em casa.

Ele deu um sorriso igual ao de uma criança quando ganha um doce,enquanto me assistia ir embora.

Bem acho que eu tenho que me apresentar a vocês.Eu me chamo Otávio Almenar e sou policial militar no Mato Grosso do sul,lugar onde eu nasci e fui criado e vivi momentos felizes e tristes.Eu me considero um cara bem bonito,sou branco,tenho 1,75 de altura,cabelo ruivo que eu deixo cortado em um topete,rosto sem barba e olhos azuis,meu corpo era musculoso sem ser exagerado destaque para as minhas pernas e bunda que cresceram bastante por causa do futebol.Eu sou bissexual assumido,mas sou muito discreto e não quero relacionamentos sérios,até porque nesse momento estou focado no meu trabalho e em colocar o meu irmão,Jean,na faculdade.

Eu crio o meu irmão a dez anos,hoje em dia eu tenho 28 e ele 18 anos e eu passei a criar ele depois que os nossos pais foram assassinados por dois criminosos.

Flash Back On

Quando eu ainda tinha 18 anos e o Jean 8,nós moravamos em uma casa espaçosa na região central de Campo Grande com os nossos pais e em um determinado dia,nós ouvimos um barulho que nos fez acordar pela madrugada.

Jean – Ouviu esse barulho irmão?

Eu – Eu ouvi sim.

Nós saimos do quarto e ao chegarmos na escada nós vimos dois ladrões na sala que estavam roubando todas as nossas coisas.

Jean – Eles invadiram a nossa casa. Disse ele com medo.

Eu – Vamos pro meu quarto.A gente precisa chamar a polícia.

Nós fomos silenciosamente até o meu quarto e ligamos para a polícia.

Eu – A gente precisa avisar o papai e a mamãe.

Nós fomos até o quarto dos nossos pais e ao entrarmos lá o quarto estava vazio e nós ouvimos um barulho de tiro e um grito na sala.

Ao descermos a escada o nosso pai estava morto no chão com um tiro no peito e a minha mãe estava desesperada.

Eu – Pai! Disse correndo até o corpo dele.

Ladrão – Cala a boca se não eu mato vocês também.

Derepente nós ouvimos um barulho de sirene e os policiais arombaram a porta da nossa casa e entraram.

Policial – Mãos ao alto!

O primeiro bandido fez a minha mãe de refém a agarando e apontando a arma pra cabeça dela e o segundo tentou nos pegar como reféns,mas Jean e eu corremos em direção aos policiais.

Ladrão – Se chegarem perto de mim eu acabo com ela.

Policial – Não tem mais saída pra você,se entregue agora.

Naquele momento eu me senti super impotente,eu não podia fazer nada para ajudar a minha mãe,o bandido estava com a mão no gatilho e derepente ele solta e a bala atravessa a cabeça da minha mãe.

A partir daquele dia eu decidi qie seria policial para colocar todos os bandidos na cadeia e desde de então eu cuido do meu irmão.

Flash Back Off

Depois do almoço nós fomos até a sala do delegado Marcos,pois ele queria ter uma conversa conosco.

O Marcos era um chefe bem legal e era um cara quarentão,branco,parudo e pelido,com cabelos pretos e com um fios grisalhos,era um cara bem bonito.

Marcos – Como vocês sabem a umas semanas atrás nós havíamos descoberto um esquema de transportação de drogas do Rio De Janeiro até aqui em Campos no Mato Grosso do Sul.

Luiz – Sim…mas aonde o senhor quer chegar?

Marcos – A maioria dessas drogas vem do Morro Rosa Branca é uma das maiores favelas do Rio De Janeiro.Eles tem um esquema estratégico muito forte,não adianta entrar na favela atirando pra espantar eles…nós precisaremos que um policial daqui se passe como morador da Rosa Branca e se infiltre na gangue.

Paolla – Eu entendo o esquema,mas porque tem que ser alguém daqui e não um policial do Rio?

Marcos – O chefe dessa facção se chama Gilson mais conhecido como Ticão é um dos maiores assassinos de policiais que existe nesse país,todos os policiais do Rio estão marcados plr ele e se algum policial carioca entrar lá será facilmente descoberto e morto.

Eu – Eu quero ir.

Paolla – O que?

Eu – Eu quero me infiltrar no morro da Rosa Branca…vocês sabem que eu não perco um desafio.

Marcos – Olha Otávio…eu não sei se é boa ideia você ir…

Eu – Como assim Marcos? O senhor tá duvidando da minha competência?

Marcos – Claro que não…é que você é o meu braço direito e esquerdo aqui.

Eu – Pra isso você tem a Paolla e o Luiz que são ótimos policiais.Por favor Marcos,faz tempo que eu tô querendo fazer uma coisa diferente.

Marcos – Ok,você venceu.

Marcos – Amanhã um especialista em disfarce vem aqui,provavelmente você vai ter que udar a cor do cabelo e usar uma identidade falsa.

Depois que o meu expediente acabou eu fui direto pra casa e o meu irmão estava saindo,ele era um rapaz bem bonito,1,70 de altura,cabelo ruivo cortado na máquina 2 e os músculos jovens em desenvolvimento,além dos olhos azuis que ele tinha puxado do meu pai,assim como eu.

Eu – Já tá de saída?

Jean – Sim eu vou dormir na casa da Camila.

Eu – Ótimo…eu vou receber visita hoje também.

Jean – Aposto que é o Luiz.

Eu – O senhorzinho anda cuidando muito da minha vida.

Luiz – Porque você não namora logo com o Luiz? O cara é boa pinta,além de ser gente boa.

Eu – Acontece que o Luiz se comporta mais como adolescente do que você.

Jean – Poxa irmão você só vive pra trabalhar,vai morrer solteiro desse jeito.

Eu – Você não ia pra casa da Camila?

Jean – Tó indo…vou deixar você avontade com o seu Luizão kkk.

Eu – Vê se usa camisinha,não quero ser tio tão cedo.

O Jean e eu sempre tivemos uma relação muito bacana,mais do que irmãos nós eramos amigos.

Depois que ele saiu eu tomei um banho e fiquei esperando o Luiz.Ele foi a primeira pessoa que falou comigo no meu primeiro dia de trabalho,ele é um cara divertido e um ótimo amante,mas não servia pra um relacionamento sério,até porqie eu sei que ele fica comigo e com mais 10.

Ele tocou a campainha e ao abrir a porta não deu tempo de dizer nada,pois ele já veio me beijando.

Luiz – Saudade do seu corpo. Disse apertando a minha bunda.

As nossas iam ficando pelo caminho,enquanto nós nos beijavamos em direção ao meu quarto.

Ele sentou na cama e eu tirei a cueca dele e o pau dele saltou duro pra fora,era um pau moreno meio frosso e com 19cm,eu masturbei ele de leve e comecei a fazer um oral nele.

Luiz – Ahh caralho que saudade que eu estava dessa boquinha.

Depois que eu deixei o pau dele bem babado ele disse.

Luiz – Deita de barriga pra cima.

Eu me deitei e ele voltou a beijar a minha boca e em seguida foi descendo pelo meu pescoço,até chegar nos meus mamilos e começar a chupa-los,em seguida ele foi descendo e beijando os gominhos da minha barriga um a um,até chegar no meu pau e começar a chupa-lo.Modéstia parte eu tenho um pênis bem bonito,18cm,bem grosso e com uma cabeça grande e bem rosada.

Depois de ter me chupado,ele levantou as minhas pernas e começou a fazer um beijo grego em mim.

Luiz – Tá apertadinho rsrs pelo visto eu fui o último que entrou aqui rsrs.

Eu – Palhaço rsrs.

Ele encostou a cabecinha do pau dele na minha entrada e começou a empurar,até que eu percebi que ele estava sem camisinha.

Eu – Não Luiz põe a camisinha.

Então ele foi até a gaveta e pegou uma camisinha e voltou a me penetrar.No começo eu sofri um pouco,poisjá fazia tempos que eu não transava.Depois de estar todo dentro de mim ele começou a bombar e eu não conseguia conter os gemidos.

Luiz – Tá gemendo de saudades da vara do Luizão rsrs.

Eu – Fica quieto palhaço!

Nós trocamos de posição e ele começou a mre comer de ladinho,enquanto me masturbava eu gozei na mão dele e ele saiu de dentro de mim,tirou a camisinha e gozou em cima da minha bunda.

Nós pedimos uma pizza e ficamos comendo no sofá,enquanto assistiamos um filme.

Eu percebi que as horas estavam passando e nada do Luiz ir pra casa.

Eu – Tá meio tarde né…

Luiz – Ah deixa eu dormir aqui.

Eu – Tudo bem…mas não vai acostumando não malandro.

Nós fomos para o meu quarto dormir e no dia seguinte nós fomos para a delegacia bem cedo e eu me encontrei com o Piere que me ajudou a conseguir documentos falsos,é claro que essa é uma operação secreta e tudo está sendo monitorado pelas secretarias de segurança do Mato Grosso Do Sul e do Rio De Janeiro.

Piere – Nós achamos melhor você não pintar o cabelo,até porque você é ruivo e esse tom de cabelo é meio complicado,mas a partir de agora o seu nome é Bruno Oliveira e você parte depois de amanhã na sexta-feira a noite.

Eu – Nossa…mais rápido do qie eu pensei.Então assim que eu chegar em casa eu irei fazer aw minhas malas…

Piere – As suas roupas de homem sério não combinam nada com as dos moradores do Morro Da Rosa Branca,a sua mala está aqui. Disse ele me entregando uma mala preta grande.

Piere – Ai tem regata,bermuda tactel e essas coisas que eles usam por lá.

Eu – Tudo bem…eu vou tentar fazer amizade com um dos traficantes para poder ser um “membro“ da facção deles.

Nesse momento o Marcos entrou na sala e disse.

Marcos – Eu sei que o Piere está te dando todas as informações,mas eu preciso te dar uma instrução…é preciso que você seja amigo do Gilson ( o Ticão chefe do morro) você é um cara simpático,vai ser fácil conquistar a amizade dele.

Eu passei praticamente o dia inteiro dentro da delegacia conversando com o Marcos sobre essa operação e só cheguei em casa por volta das 10 da noite.

Jean – Tava no trabalho ainda?

Eu – Estava sim…eu vou ter que fazer uma viajem de trabalho na sexta-feira a noite e você vai ficar na casa do Marcos com o filho dele.

Jean – Porque eu não posso ficar aqui em casa sozinho?

Eu – Eu vou viajar pra uma missão arriscada,se a bomba estourar eu quero que você esteja em um lugar seguro

No dia seguinte o Marcos me ligou de manhã cedo e disse que eu estava de folga e que deveria me preparar para a viajem e foi isso que eu fiz e na sexta-feira de tarde eu levei o Jean até o apartamento do Marcos.

Jean – Você vai ficar quanto tempo fora?

Eu – Mais ou menos 3 meses,mas fique tranquilo e ajude o Marcos nas tarefas de casa.

Marcos – Ele está em boas mãos aqui…o meu filho Diogo vai adorar conhecer ele também.

Eu me despedi do meu irmão e em seguida me despedi do Marcos.

Eu – Muito obrigado…você além de um chefe exelente é um amigo incrível.

Marcos – Você merece…toma cuidado por lá. Disse ele me abraçando.

Depois de ter me despedido do Marcos e do Jean eu fui até o aeroporto,pois o meu vôo saia as 19 horas.

Ao embarcar no avião eu segui rumo ao Rio De Janeiro.

Eu tinha uma maneira secreta de me comunicar com a delegacia do Catete no Rio e tinha um esquema secreto de conversa com o Marcos também,pois desse jeito se alguém pegasse o meu celular não descobriria nada.

Já no táxi eu estava encantado com as belezas daquela cidade e levou mais ou menos 2 horas do aeroporto até o Morro Da Rosa Branca.

Eu subia aquelas vielas em direção a casa que eu tinha alugado que ficava mais ou menos na metade do morro.

Eu vesti um boné vermelho,uma regata da mesma cor e um short preto e todos me olhavam,pois sabiam que eu não era dali.

As casas eram bem precárias e as crianças brincavam descalças pela rua.Logo eu cheguei no meu endereço e quem me recebeu foi a dona Joana a dona do imóvel.

Joana – A casa é simples,mas é de piso,tem laje toda direitinha.

A casa tinha apenas um quarto e apesar de ser só tijolo do lado de fora,era bem bomitinha do lado de dentro e já tinha todos os móveis,acontece que uma agente disfarçada se passou por minha tia e alugol a casa.

Joana – Olha o Ticão não gosta muito que venha gente de fora morar aqui,então é capaz de ele mandar um dos homens dele pra conversar com você,mas é só tu manter a calma que eu já expliquei tudo pra ele.

Eu jásabia quem era o tal ticão,eu já vi uma única foto dele que estava com uma resolução péssima,mas daria pra reconhecê-lo

Durante a noite eu estava assistindo televisão quando ouço umas batidas fortes na porta.

Eu – Já vai!

Ao abrir a porta lá estava o Ticão imponente na minha frente.

Ticão – Tô querendo bater um papo contigo irmão. Disse com a voz grossa dele.

Agora começa o jogo.

CONTINUA.

Eu Te Amo Porra -Capítulo 42 – FIM

Nós havíamos acabado de chegar na nossa nova casa de Los Angeles que era uma verdadeira mansão e ficava em frente a praia,além de ter um quintal enorme e com uma piscina enorme.

Eu – Nossa que casa incrível.

Hugo – Tenho certeza que nós seremos muito felizes aqui. Disse ele me beijando.

2 Anos Depois

Gabriel Narrando

O meu namoro com o Ricardo estava melhor do que nunca,ele já havia terminado a faculdade de engenharia e estava trabalhando na construtora dos pais do Hugo e eu ainda estava no segundo período da faculdade de

odontologia.

Ricardo – Bom dia amor.

Eu – Bom dia meu bem…

Nós estavamos sozinhos na minha casa e fomos tomar café da manhã juntos antes de irmos cada um para o seu destino.

Ana Narrando

Pois é dois anos se passaram e durante esse tempo eu descobri que eu estava grávida o que resultou no nascimento do meu filho Joaquim que agora está com 1 ano e 3 meses de idade e quando eu descobri da gravidez foi o maior susto.

Flash Back On

Algumas semanas depois da partida de Hugo e Raphael eu comecei a me sentir meio estranha,começou com enjôos que vinham logo pela manhã.

Eu estava dormindo no apartamento do Anderson e pela manhã eu acordei com um enjôo muito forte e fui direto pro vaso vomitar.

Anderson – O que houve amor?

Eu – Eu acordei me sentindo um pouco mal.

Esses enjôos foram se repetindo e a minha menstruação que era super certinha estava atrasada e em uma conversa pelo skype com o Raphael ele abriu os meus olhos.

Raphael – Amiga será que você tá grávida?

Ana – Grávida…tomara que não,tudo que não pode acontecer comigo agora é uma gravidez…

Raphael – Eu entendo que você tá assustada,mas um filho é sempre uma benção,pensa bem.

Ana – Se eu estiver eu vou abortar.

Raphael – Ana…pensa bem antes de tomar qualquer decisão hein. Disse ele preocupado.

Depois da conversa com o Raphael eu fiquei sentada pensando.

Eu – Grávida?

Para tirar aquela dúvida cruel eu comprei um teste de farmácia daqueles que dizem as semanas e lá estava dizendo que eu estava grávida de 8 semanas.

Eu fiquei vários dias pensando naquilo,um filho agora mudaria completamente a minha viida completamente.

Depois de vários dias pensando eu decidi ir até uma clínica de aborto,depois de ter feito a ficha eu me sentei para esperar a minha vez e do meu lado se sentou uma garota muito bonita e ela me perguntou.

Ela – É a sua primeira vez aqui?

Eu – Sim porque?

Ela – Essa é a quinta vez que eu faço isso…logo logo você acostuma.

Logo chegou a minha vez e eu me deitei na maca e o médico disse.

Ele – Não se preocupe…vai ser bem rápido.

Derepente eu comecei a chorar.

Ele – O que houve?

Eu – Eu não quero mais fazer isso.

Eu levantei daquela maca e sai correndo pelas ruas.Eu cheguei em casa acabada e chorando e ao me ver naquele estado o Anderson ficou assustado.

Anderson – Meu Deus amor o que aconteceu com você?

Eu contei tudo pra ele e ao contrário do que eu pensei ele ficou super feliz com a notícia de que ele iria ser pai.

Flash Back Off

Hoje em dia nós vivemos muito bem com o nosso pequeno e o Anderson se formou em educação física e abriu uma academia em Botafogo pra ele e ele também dava aulas particulares como personal,depois que o Joaquim nasceu eu retomei a faculdade novamente,mas em breve terei que parar de novo,pois estou grávida de 3 meses,só resta saber se é um menininho ou uma menininha.

Guilherme Narrando

Esses dois anos fizeram muito bem para o meu namoro com a Eliza,os meus pais adoraram ela,eles sempre foram muito conservadores e pegaram muito no meu pé ao conhecerem o meu grupo de amigos.

Tudo começou com uma matéria que passou na tv sobre o Hugo e apareceu as nossas fotos e os meus pais piraram ao saberem que eu era amigo de 4 casais gays e que entre eles tinha uma trans,mas com muita paciência eu consegui dobrar eles.

André Narrando

Durante esse tempo Marck e eu nos casamos,nós optamos por não fazer festa e recentemente adotamos uma filha,ela se chama Gabriela e tem 4 anos de idade.

Naquela segunda-feira de manhã era o primeiro dia de aula da pequena Gabriela e nós levantamos cedo para leva-la para a escola.

Gabriela – Eu não quero ir pra escola hoje papai André.

Eu – Mas você precisa estudar pra ser uma menina inteligente,sem falar que você vai conhecer coleguinhas novos.

Ao ver que não conseguiria nada comigo ela olhou com aquele olhar de cachorrinho abandonado pro Marck,pois ele sempre fazia todas as vontades dela,mas eu tratei logo de lançar um olhar fulminante pra ele que disse.

Marck – Você precisa ir estudar meu bem…e se você se comportar eu te levo pra tomar sorvete depois da aula.

Gabriela – Eba ! Disse ela alegre.

Alexandra Narrando

Durante esses dois anos a minha vida mudou muito,agora eu e Jonas moramos em um apartamento na Barra e eu até mudei de cargo.

Flash Back On

A mais ou menos 1 ano atrás eu estava fixando uns documentos para o Sérgio,quando ele me chamou na sala dele.

Eu – Pois não…

Sérgio – Eu não quero mais que você trabalhe como a minha secretária.

Ao ouvir ele dizer isso eu fiquei super nervosa.

Eu – Eu fiz alguma coisa de errado?

Sérgio – Muito pelo contrário…eu acho que esse cargo é pouco pra você,você é uma garota inteligente e agora que começou a faculdade de administração eu acho que você merece coisa melhor…por isso agora você irá supervisionar o trabalho de todas as secretárias.

Eu não conseguia acreditar no que ele estava falando,ele queria que eu supervisionasse as secretárias da empresa,mas só tinha um detalhe,esse cargo pertencia a velha Cíntia.

Eu – Mas o que houve com a Cíntia?

Sérgio – A Cíntia irá se aposentar daqui a 1 mês,durante esse tempo ela irá te ensinar a função…e ai aceita?

Eu – É claro que eu aceito. Disse sorrindo

Sérgio – O seu salário será o dobro do atual e você contará com a ajuda de um assistente e estando nesse cargo você também poderá utilizar o motorista da empresa caso precise.

Supervisionar as secretárias e secretários não era tarefa fácil,até porque algumas tinham o ego mais alto que a lua,confesso que eu acabei ganhando alguns inimigos,mas faz parte do show.

Flash Back Off

Aquela segunda-feira não foi fácil pra mim,pois além de uma reunião longa na empresa eu ainda tive que assistir três horas de aula na faculdade e as 10 da noite eu finalmente tinha chegado em casa e ainda tinha que achar tempo para agradar o maridão.

Como o Jonas já terminou a faculdade ele chegaem casa um pouco mais cedo que eu,pois na parte da manhã ele trabalha em seu própro escritório de advocacia e durante a tarde ele trabalha na empresa dos pais,mas nós quase não nos esbaramos pela empresa,pois trabalhamos em setores distantes um do outro.

Ele estava na sala assistindo um jogo de futebol e eu decidi fazer uma surpresinha pra ele assim que ele entrasse no nosso quarto.

Eu vesti apenas um fio dental preto,sem sutiã e uma camisola preta de tecido transparente por cima,deixei os meus cabelos soltos e durante esses dois anos o meu cabelo natural cresceu e agora eu estou com cabelos cacheados que vão até dois palmos abaixo dos ombros.

Ao entrar no quarto e me ver praticamente semi nua o Jonas se animou bastante,agora o meu corpo estava completamente feminino,meus seios estavam bem grandes e o meu quadril bem largo e agora eu tinha um acessório a mais pois eu havia feito a cirurgia de mudança de sexo,essa cirurgia sempre foi um dilema pra mim,mas eu acabei me decidindo e hoje sou uma mulher completa.

Jonas – Que isso…tudo isso é pra mim.

Eu – Tudo pra você amor.

Ele subiu em cima de mim e nós começamos a nos beijar,ele estava apenas de cueca e ao retirar a cueca dele o pau dele saltou pra fora e começou a se esfregar na minha calcinha,enquanto ele abaixava a manga da minha camisola e começava a chupar os meus seios,em seguida ele abaixou a minha calcinha e começou a esfregar o pau babão dele na minha vagina.

Eu – Me come logo amor.

Então ele começou a me penetrar e em seguida começou a bombar.

Jonas – Ahh que bucetinha quente.

Depois nós ficamos de quatro e ele começou a comer o meu cuzinho,enquanto dava tapas na minha bunda.

Eu – Isso amor vai. Dizia rebolando no pau dele.

Depois de meter no meu cuzinho ele voltou a meter na minha buceta,até fazer eu chegar ao orgasmo e em seguida gozar dentro dela.

Depois desse sexo maravilhoso eu deitei sobre o peito dele e nós ficamos conversando com ele acariciando os meus cabelos até pegarmos no sono.

Jonas – Eu te amo minha preta. Disse ele me beijando.

Hugo Narrando

Faz dois anos que eu e o Rapha estamos morando aqui em Los Angeles com os nossos pequenos e eu tenho que confessar que eu nunca fui tão feliz na minha vida tanto emocional quanto profissional,é claro que não dava para ganhar todas as lutas,mas eu ia bem em todas elas,inclusive as que eu perdia.

Naquele sábado a noite eu tinha uma luta importante e o Raphael teria que ficar em casa cuidando das crianças,pois o Lucas está com febre,então ele me assistiria apenas pela tv.

No primeiro round estava tudo controlado,estavamos apenas dando golpes um no outro,mas nenhum de nós dois chegou nem perto de imobilizar o outro.

No segundo round a coisa ficou mais pesada e os golpes,mais fortes,mas nenhum de nós dois levou a melhir nem no primeiro nem no segundo round.Então tudo agora irá depender do terceiro round.

O terceiro round começou e as coisas estavam se encaminhando para o mesmo rumo do primeiro,quando ele tentou dar um golpe em mim e acabou se desequilibrando um pouco e foi ai que eu vi a oportunidade perfeita e imobilizei ele no chão e venci a luta.

Depois da luta eu tomei um banho e troquei de roupa rapidamente e fui dar as entrevistas e fui correndo pra casa,pois a coisa que eu mais queria era dar um beijo no Raphael e nos meus filhos.

Raphael – Sabia que você ia ganhar meu campeão. Disse ele pulando no meu colo e me beijando.

Eu – Cadê os bebês?

Raphael – Já dormiram…que tal a gente ir comemorar a sua vitória no quarto hein? Disse ele mordendo a minha orelha.

Eu – Ótima ideia.

Então eu carreguei ele ni colo até o quarto e joguei ele em cima da cama e nós começamos a tirar as nossas roupas,até ficarmos completamente pelados e eu começar a chupar os mamilos dele.

Logo ele empinou aquele bundão e ficou de quatro em cima da cama e eu dei um tapão no rabo dele e ao abrir a bunda dele eu vi aquele cuzinho rosinha piscando e decidi fazer uma coisa que eu nunca tinha feito antes.

Depois de lubricar o meu pau e o cu dele eu meti tudo de uma vez,fazendo ele gritar.

Raphael – Ahhh!

No começo ele sentiu dor,mas logo já estava rebolando no meu pau e depois de ter feito ele gozar sem ter se tocado,eu gozei 5 jatos dentro do cuzinho dele e nós fomos dormir de conchinha.

Raphael Narrando

Eu nunca achei que eu seria tão feliz na minha vida,os gêmeos agora estão com dois anos e meio e estão bastante espertinhos,eu tive que largar a minha faculdade de publicidade no Brasil e recomecei o curso em uma universidade de Los Angeles que ficava próximo da minha casa,mas tudo valia a pena pelo Hugo e pelos nossos filhos.

Infelizmente eu não pude ir assistir a luta dele ao vivo como eu gosto de fazer,pois o nosso filho Lucas estava com febre e eu não gosto de ficar longe das crianças quando elas estão doentes,sou um pai coruja admito rsrs.

O meu maridão venceu a luta e para comemorar nós tivemos uma noite de amor maravilhosa,o Hugo tinha me pegado de jeito e concerteza aquilo iria deixar marcas em mim,rsrs.

Eu acordei pela manhã com ele me agarrando por trás e beijando o meu pescoço.

Eu – Seu tarado você já acorda assim…

Hugo – Eu acordei com fome de você.

Eu – Então mata a sua fome vai. Disse abrindo a minha bunda com as mãos,me oferecendo a ele.

Ele não se fez de rogado e enfiou o seu pau em mim e entrou rápido,pois ele tinha me arrombado na noite anterior.

Ele começou a bombar de ladinho e rápido,enquanto eu me masturbava.

Hugo – Que delícia de cuzinho quentinho.

Logo eu gozei e ao fazer isso eu acabei contraindo o meu cu e expremendo o pau dele dentro de mim e ele deu uma estocada profunda,despejando o seu esperma dentro de mim.

Hugo – Vamos tomar um banho amor.

Eu – Toma você primeiro…enquanto isso eu me recupero rsrs.

Hugo – Tabom rsrs.

Ele me deu um beijo na boca e um tapa na minha bunda antes de sair.

Enquanto ele estava no banheiro eu coloquei a mão no meu cuzinho que estava meio abertinho e inchado e pingando semem.

Depois do Hugo eu fui tomar um banho e ao chegar na cozinha ele estava botando a mesa do café da manhã.

Eu – Que delícia…tô cheio de fome.

Nós sentamos para tomar café da manhã juntos.

Hugo – O juíz negou o pedido do advogado Heitor para que ele respondesse em liberdade.

Eu – Graças a Deus…aquele cara é um psicopata.

Hugo – Estão dizendo até que ele está tendo um caso com um dos enfermeiros.

Eu – Seja lá quem for eu espero que saiba aonde está se metendo.

Depois que os meninos acordaram nós ficamos brincando com eles no jardim e enquanto eles corriam felizes,Hugo e eu estavamos deitados abraçadinhos em baixo de um pé de maça.

Hugo – Eu tava pensando aqui…que tal nós darmos um irmãozinho ou irmãzinha pra eles?

Eu – Como assim?

Hugo – A gente pode adotar uma meninha,ou até mesmo contratar uma barriga de aluguel…você sabe que eu sempre quis ter muitos filhos

Eu – Mas filhos são uma responsabilidade muito grande e nós somos muito novos ainda.

Hugo – Se você não quer agora tudo bem…nós podemos esperar mais dois ou três anos.

Eu – Que bom que você me entende amor. Disse beijando ele.

6 Meses Depois

Hoje é dia 31 de dezembro e todos os nossos amugos e familiares já estão acomodados na nossa casa de Los Angeles,os gêmeos já estão com 3 anos,pois eles fazem aniversário em dezembro.

Finalmente estava chegando a hora da virada do ano,faltavam poucos segundos e todos estavam lindos e super felizes e quando o relógio marcou meia-noite todos gritaram.

– Feliz ano novo!!!

FIM

Eu Te Amo Porra – Capítulo 41 – Penúltimo

Hugo – Eu tenho uma notícia pra te contar…é uma notícia que pode mudar as nossas vidas completamente.

Eu – Nossa amor,fala logo que eu já tô ficando preocupado.

Hugo – Eu recebi uma proposta de uma agência de lutas americana e…

Eu – E…

Hugo – Eles ficaram muito felizes com o meu desempenho nos campeonatos brasileiros,mas pra isso nós teríamos que nos mudar para os Estados Unidos.

Eu – Morar nos Estados Unido? Nossa amor…essa me pegou de surpresa agora…

Hugo – O que você acha?

Eu – Não sei amor…eu ainda nem terminei a faculdade…mas essa é uma oportunidade incrível pra você…em quanto tempo você tem que dar a resposta?

Hugo – Dentro de uma semana…e se eu aceitar nós teremos que nos mudar para Los Angeles dentro de 3 meses…eles mesmos vão providenciar uma casa e um carro pra gente,pois faz parte do contrato.

Eu – Olha amor…eu vou precisar de um tempo pra pensar.

Hugo – Pensa com calma…essa é uma decisão que temos que tomar juntos.

Eu fiquei o resto do domingo pensando naquilo,pois uma mudança de país muda completamente a vida de qualquer um,ainda mais agora que nós temos dois filhos para cuidar,mas isso era algo muito importante pra carreira do Hugo e eu não poderia pensar só em mim.

Segunda-feira pela manhã Hugo e eu estavamos tomando café da manhã juntos.

Eu – Você tem treino hoje amor?

Hugo – Hoje não,assim que eu sair da construtora eu venho direto pra casa.

Antes de ir para a faculdade eu fui até o quarto dos gêmeos que ainda estavam dormindo e dei um beijo neles.

Na faculdade eu tentava me concentrar na aula,mas não conseguia e o Guilherme percebeu a minha preocupação.

Guilherme – Que cara é essa Rapha?

Eu – É que eu tô preocupado com umas coisas aqui.

Guilherme – Que coisas?

Eu – É que o Hugo recebeu uma proposta para ir morar nos Estados Unidos.

Guilherme – Ele é um lutador de MMA famoso…cedo ou tarde isso ia acontecer.

Eu – Eu tô em dúvida…é uma mudança de vida muito grande…mas eu tenho que pensar na carreira dele também.

Guilherme – Essa mudança de vida vai ser boa pra vocês ainda mais depois de tudo que aconteceu…é óbvio que eu vou sentir saudades do meu melhor amigo e dos meus afilhados,mas eu vou visitar vocês.

Assim que eu sai da faculdade eu fui direto pra casa e depois de ter tomado um banho eu levei os bebês pro meu quarto e fiquei na cama com eles.

Aos 6 meses de idade eles já estavam super espertos e os dois eram idênticos ao Hugo fisicamente e apesar de pequeno dava pra ver que o Gustavo tinha a personalidade bem parecida com a do pai,enquanto o Lucas era mais sensível que o irmão que era alguns minutos mais velho.

Eu tinha pensado bem e decidi me mudar para Los Angeles com o Hugo e as crianças,eu ainda teria que falar com os meus pais e os meus amigos,mas a decisão já estava tomada.

Eu – Pois é meus amores,nós iremos morar em outro país agora,mas até que isso será bom,vocês vão crescer em outra cultura.

Enquanto eu brincava com os gêmeos o Hugo chegou do trabalho.

Hugo – Que imagem mais linda…a família assim toda juntinha.

Ele me deu um beijo na boca e deu um beijo nos bebês.

Hugo – Eu vou tomar banho e logo venho me juntar a vocês. Disse ele indo para o banheiro.

Depois de ter tomado banho ele saiu do banheiro apenas de short e sem camisa e se deitou com a gente.

Hugo – O que vocês estavam aprontando aqui enquanto eu estava fora?

Eu – Nada,nós estavamos brincando aqui.

Hugo – Eu sou muito sortudo por ter vocês. Disse ele me beijando.

Eu – Eu que sou sortudo por ter vocês na minha vida,você é um marido perfeito.

Eu – Eu pensei naquele assunto…

Hugo – Pensou?

Eu – Eu acho que vai ser bom pra gente morar em Los Angeles.

Hugo – Nossa amor eu tô muito feliz. Disse ele me beijando.

Marck Narrando

Todos nós estavamos vivendo dias de paz,até que o Raphael foi sequestrado pelo psicopata do Heitor que ainda teve a coragem de estuprar o garoto,mas graças a Deus está tudo bem agora.

Eu e o André andamos conversando bastante e estavamos planejando adotar um ou dois filhos,mas nós já até marcamos a data do casamento e tudo,mas estavamos mantendo tudo em segredo.

Eu já estou com 41 anos e já passou da hora de formar uma família,falando em família o Hugo recebeu uma proposta irrecusável para ir morar em Los Angeles,resta saber como o Raphael irá reagir.

Nós estavamos deitados na cama pela noite,eu estava fechando alguns contratos pelo telefone e o André estava terminando um trabalho pelo notebook.Eu e ele estamos morando juntos agora,pois ele se mudou para o meu apartamento.

André – O dia hoje foi cansativo…

Eu – Nem me fale…eu já terminei o que eu estava fazendo aqui…que tal a gente brincar um pouco hein?

André – Até que não é má ideia.

Então eu comecei a beijar ele e como nós estavamos só de cueca,então foi fácil iniciar o que nós queríamos.Enquanto eu chupava o mamilo dele,ele tirava a minha cueca e começava a masturbar o meu pau.

Eu me deitei na cama e ele começou a chupar o meu pau.

Eu – Caralho…isso vai.

Ele deitou na posição frango assado e nós ficamos nos amando até o amanhecer.

Hugo Narrando

Eu estava muito feliz do Rapha ter aceitado ir morar nos Estados Unidos comigo e com as crianças,é claro que a nossa vida mudaria bastante,mas valeria apena.

Nós estavamos deitados na cama curtindo os nossos filhos.Quando já era por volta das 10 da noite os meninos dormiram.

Eu – Eles pegaram no sono,até que enfim…

Raphael – Eles ficaram o dia inteiro brincando,uma hora tinham que cansar mesmo…eu vou lá colocar eles no berço

Eu tava louco pra fazer amor com o Rapha,só estava me segurando por causa dos meninos,mas eu aproveitei que o Rapha iria colocar eles no berço para colocar o meu plano em ação.

Eu fiquei só de cueca na cama e ao entrar no quarto o Rapha já percebeu de cara as minhas intenções.

Raphael – Seu safado. Disse ele tirando a roupa.

Ele ficou só de cueca na minha frente e na hora de se despir da sua cueca branca ele virou de costas pra mim e se abaixou pra tirar a cueca,exibindo aquele rabão lisinho pra mim.

Ele sentou no meu colo,comigo ainda de cueca e começou a me beijar,enquanto a bunda dele se esfregava na minha ereção.

Eu nunca cansava de beijar e de fazer amor com o Rapha,parecia que a cada dia ele ficava mais lindo e mais gostoso.

Enquanto ele me beijava e se esfregava no meu colo,eu aproveitei e comecei a dedar o cuzinho dele,que estava piscando feito louco e o meu pau estava molhando a cueca de tanto que estava babando,então eu tirei a cueca e comecei a esfregar a cabeça do meu pau na entrada dele e ele foi sentando aos poucos.

Eu – Isso…senta no papai vai…

Logo eu senti a bunda dele,encostando nas minhas bolas,então ele começou a cavalgar no meu pau.

Eu – Isso…senta gostoso vai.

Nós fizemos amor em várias posições,até que ele voltou a cavalgar em mim em mim e ele gozou nas nossas barrigas e eu gozei dentro dele e nós ficamos nos beijando depois de termos feito amor.

Raphael – Eu te amo muito meu lutador fortão.

Eu – Eu te amo muito também loirinho.

3 Meses Depois

Raphael Narrando

Depois de termos nos organizado bastante nós iriamos nos mudar para Los Angeles.Os gêmeos já estão com 9 meses de idade e já estão comendo comida de adulto.

Nós estavamos no aeroporto,nos despedindo dos nossos amigos e familiares.

Eu – Tchau minha princesa,quando você estiver maiorzinha você vai visitar os seus primos. Disse para a minha sobrinha Manuela que já estava com 5 meses.

Depois de termos nos despedido de todos nós entramos no avião e enquanto ele decolava eu pensava na minha vida.

A algumas semanas atrás houve o julgamento do Heitor e ele havia sido condenado apenas pelo meu sequestro,o que eu achei um absurdo,ele vai ficar alguns anos em uma espécie de hospício para criminosos,mas o Jonas disse que ele não cumpriria nem um quarto da pena devido a todas as atunuações.O Heitor também foi muito esperto em relação as empresas dele e as vendeu antes que a sua imagem ficasse ainda mais queimada e a sua fortuna que era de 60 milhões passou para 100 milhões…infelizmente não existe justiça nesse país,pensando por esse lado é até bom que Hugo e eu estamos saindo dele juntos com as crianças.

Autor Narrando

Mesmo após a sua condenação,Heitor continuava no presídio,mas estava sendo encaminhado para o hospício naquela manhã de terça-feira.Ele ficou em um quarto exclusivo e logo ele conheceria a enfermeira/enfermeiro que ficaria responsável por ele.

Ele olhava para as paredes brancas e começava a refletir sobre a sua vida,até que um rapaz vestido de branco entrou no quarto,ele tinha 1,70 de altura,cabelos loiros que iam até o pescoço e lindos olhos azuis.

Heitor ficou encantado com a beleza do rapaz.

Ele – Olá,eu serei o seu enfermeiro.

Heitor – Qual é o seu nome?

Ele – Eu me chamo Raphael.

CONTINUA…

Eu Te Amo Porra – Capítulo 40

No meio do caminho o meu carro foi cercado por outros três carros que vieram ao mesmo tempo de direções diferentes e deles sairam 6 caras armados com fuzís.

Eles estavam com máscaras pretas no rosto e um deles disse.

Ele – Sai do carro agora!

Eu fiquei completamente paralisado e sem reação,eu até pensei em fugir,pois o meu carro era blindado,mas ai eu lembrei que eles poderiam atirar e a blindagem não iria resistir a tiros de fuzil.

Antes que eu pensasse em fazer alguma coisa um deles usou uma espécie de ferramenta para arombar a porta do meu carro,ele saiu me puxando do carro e puxaram os gêmeos que começaram a chorar.

Eu – O que vocês querem com a gente?

Ele – Nós só estamos cumprindo ordens.

Ele começou a me puxar em direção a um dos carros e eu resisti.

Eu – Eu não vou a lugar nenhum com vocês!

Então um outro cara me agarou por trás e colocou um pano com um líquido no meu nariz que fez com que eu desmaiasse.

Eu acordei em um quarto que eu não conhecia e ao olhar para as paredes eu vi que eu estava em uma casa de madeira.Eu estava de bruços e pelado em cima da cama e eu sentia uma dor vindo do meu ânus e ao botar a mão no local eu senti que eu estava sujo de esperma que saia do meu cu e escorria pelas minhas pernas,então as lembranças do sequestro da noite anterior vieram na minha cabeça e eu comecei a me desesperar.

Eu – Meu Deus onde eu estou? E os meus filhos,será que fizeram alguma coisa com eles?

Eu falava sozinho enquanto eu chorava.

Eu me desesperei mais ainda ao ver o Heitor entrando no quarto.Ele estava sem camisa e com um sorriso no rosto.

Heitor – Bom dia meu amor.

Eu – Seu desgraçado!

Heitor – Calma amor,não precisa ficar nervoso.

Ele falava tudo com um sorriso irritante no rosto e eu estava sentindo um ódio que eu nunca havia sentido antes.

Ele se sentou de frente pra mim na cama e começou a alisar o meu rosto.

Heitor – Nós tivemos uma noite de amor linda.

Eu – Você me estuprou seu doente!

Heitor – Eu nunca faria isso com você amor.

Eu – Meu Deus Heitor…você passou de todos os limites….cadê os bebês?

Heitor – Os nossos filhos estão no outro quarto. Disse com um sorriso iritante no rosto.

Eu – Nossos filhos? Você enlouqueceu.

Heitor – Eu sou louco de amor por você…hoje durante a noite nós iremos pegar o vôo pro nosso novo lar na Austrália,você e os nossos filhos terão a vida de príncipe que vocês merecem.

Eu – Eu não vou a lugar nenhum com você seu doente! Socorro! Socorro!

Eu gritava por socoro e o Heitor deu um tapa na minha cara que quase me fez cair da cama.

Heitor – Eu detesto ter que fazer isso,mas se você não colaborar vai ter que ser desse jeito,além do mais não adianta você gritar…nós estamos no meio do nada e a casa está cercada de seguranças.

Eu – Onde estão os bebês?

Heitor – Vem comigo…eu vou te levar até o quarto deles.

Ao levantar da cama eu vi que havia uma mancha de sangue sobre os lençóis,prova do estupro que eu sofri enquanto eu estava dopado.

Eu – Cadê as minhas roupas?

Ele pegou uma camisa que estava em cima da estante e disse.

Heitor – Veste a minha camisa.

Eu vesti a camisa dele que ia até um pouco acima da altura dos meus joelhos e fui com ele até o quarto onde os gêmeos estavam.

Eu já havia montado um plano na minha cabeça que consistia em fingir que eu estava concordando com o Heitor,até que eu pudesse achar aqueles remédios que ele usava para me dopar e depois de dopar ele eu fugiria com os gêmeos,seria complicado despistar os capangas do Heitor,mas se eu oferecer dinheiro a eles tenho certeza que eles deixariam de ser fiéis ao Heitor.

Nós chegamos até o quarto em que os gêmeos estavam e fui correndo abraça-los.

Enquanto eu segurava o Gustavo em um braço e o Lucas no outro eu pensava.

Eu – “ Eu vou dar um jeito de nos tirar daqui “ Dizia eu em pensamento.

Autor Narrando

Naquela noite de segunda-feira,Sérgio e Bárbara estavam em seu apartamento curtindo a filhinha deles a Manuela que já estava com dois meses de idade e se parecia muito com a Bárbara,até que Sérgio recebeu uma ligação de sua mãe.

Sérgio – Oi mãe tudo bem?

Branca – Sérgio vem pra cá meu filho,eu passei muito mal,o médico já veio me ver,mas eu tô sozinha aqui em casa,eu chamei o Raphael,mas até agora ele não veio.

Sérgio – Tudo bem mãe,eu tô indo ai.

Bárbara – O que houve amor?

Sérgio – A minha mãe passou mal…eu vou lá dar uma olhada nela e já volto.

Sérgio desceu até a garagem do prédio e entrou no seu carro e começou a pensar sozinho.

Sérgio – Que estranho o Raphael não atender um pedido da nossa mãe,ainda mais com ela passando mal…

Então ele ligou para o irmão caçula,mas o telefone só caia na caixa postal,então ele decidiu ir até o apartamento do Raphael que ficava quase do lado do seu prédio.

Como ele tinha livre acesso a cobertura do casal ele subiu direto,ele tocou a campainha várias vezes,mas ninguém atendeu.

Sérgio – Que estranho…será que aconteceu alguma coisa?

Quando ele já estava desistindo e indo embora o Hugo apareceu.

Hugo – Opa Sérgio,porque não trouxe a Manuela pra visitar os meninos também?

Sérgio – Eu acho que o Raphael não tá em casa,eu toquei a campainha e ninguém atendeu e o telefone só cai na caixa postal.

Hugo – Que estranho.

Eles entraram no apartamento e nem Raphael e nem os gêmeos estavam lá.Eles começaram a ligar para todos os amigos do Raphael,mas ninguém sabia o paradeiro dele.

Hugo – Vem comigo…acho que tem como rastrear eles pelo computador.

Sérgio – Como assim?

Hugo – Eu e o Raphael colocamos uma pulseira com gps nos gêmeos em caso de segurança.

Eles pegaram o notebook e em pouco tempo descobriram aonde os três estavam.

Sérgio – Eles estão em uma floresta na Vargem Grande.

Hugo – Droga sequestraram eles!!

Sérgio – A gente tem que ir na polícia.

Raphael Narrando

O Heitor tinha providenciado tudo que os gêmeos precisavam e depois de ter dado mamadeira pra eles eu fiquei sentado olhando o Heitor almoçando,eu nem conseguia tocar na comida,pois eu estava sem fome.

Derepente eu comecei a ouvir uns barulhos de tiros e o Heitor abriu a cortina para olhar para o lado de fora e fechou rapidamente,apesar de ter sido rápido eu pude ver que a polícia estava trocando tiros com os capangas de Heitor do lado de fora.

Heitor – Droga!

Foi ai que eu lembrei da pulseira com gps que os gêmeos usavam,o Hugo deve ter usado para localizar a gente,logo os barulhos de tiros pararam e a porta foi arrombada e por ela entraram vários policiais e o Heitor foi preso em flagrante.Logo atrás dele estava o Hugo que veio correndo para abraçar eu e os gêmeos.Enquanto era levado até a viatura pelos policiais Heitor gritava.

Heitor – Você é meu Raphael,não adianta fugir.Nós fizemos amor e tudo!

Eu – Você me estuprou seu desgraçado!

Nessa hora o Hugo quase avançou no Heitor,mas foi parado pelos policiais.

Alguns Dias Depois

O Heitor havia sido preso e os médicos estavam avaliando se ele deveria continuar na cadeia ou ir para um maniconio judiciário,pois ele estava apresentando sinais de distúrbio mental.

Eu tomei vários remédios que impediram que eu contraisse alguma doença devido ao estupro que eu sofri e foi difícil voltar a conseguir fazer amor com o Hugo depois disso,mas eu acabei superando.

No sábado o Hugo tinha vencido mais uma luta no torneio de MMA nacional e hoje no domingo nós estamos na piscina da nossa cobertura curtindo a companhia um do outro e derepente eu percebi que o Hugo ficou meio estranho.

Eu – Que cara é essa amor? Você ficou estranho derepente.

Hugo – Eu temho uma notícia pra te contar…é uma notícia que pode mudar as nossas vidas completamente.

Eu – Nossa amor,fala logo que eu já tô ficando preocupado.

Hugo – Eu…

CONTINUA…

Eu Te Amo Porra – Capítulo 39

A partir dali começava uma nova fase das nossas vidas.O juíz falou e depois de dizermos os votos,Hugo e eu colocamos a aliança no dedo um do outro e nos beijamos e os convidados nos aplaudiram.

Logo em seguida a festa começou,mas eram tantos convidados,que Hugo e eu só conseguimos começar a curtir a festa depois de 1 hora.Ali haviam várias pessoas das empresas dos meus pais e da construtora dos pais do Hugp,vários amigos meus da faculdade e do tempo de escola,os amigos do meio do MMA do Hugo,além de vários familiares e parentes nosso.

Finalmente depois de tantos problemas nós estavamos tendo dias felizes e além dos gêmeos Gustavo e Lucas a família estava prestes a ganhar uma nova integrante,pois Sérgio e Bárbara serão papais em breve,já que ela esta grávida de 5 meses e eles já até escolheram o nome da minha sobrinha que se chamará Manuela.

A música eletrônica estava tocando e todos os convidados estavam dançando alegres,até que uma música lenta começou a tocar e Hugo e eu dançavamos abraçadinhos.

Hugo – Nem acredito que nós estamos vivendo esse dia.

Eu – Nem eu…parece até que eu tô sonhando.

Hugo – Se for um sonho eu não quero acordar nunca mais.

Eu – Me belisca,pra eu ter certeza que eu não estou sonhando.

Hugo – Ao invés de beliscar,eu prefiro te beijar. Disse ele me dando um beijão daqueles que sempre deixava as minhas pernas bambas.

Hugo Narrando

Aquele era um dia mágico,não só pra mim e pro Rapha,como pra todos que gostam da gente também.

Se dependesse da disposição do pessoal a festa iria até as 5 da manhã, mas o Rapha e eu decimos ir embora as 2 da manhã,pois no dia seguinte nós acordaríamos cedo para pegar o vôo.A gente vai passar 4 dias de lua de mel nas Ilhas Maldivas e enquanto isso os gêmeos ficaram com os meus pais e assim que voltarmos de viajem nós iremos nos mudar com eles para a nossa cobertura na Lagoa.

Nós nos despedimos alegremente dos convidados antes de sairmos,mas foi extremamente difícil se despedir dos gêmeos.

Raphael – Só de pensar que eu vou ficar 4 dias longe dos meus pequenos já me dá saudade. Disse enquanto segurava o Gustavo no colo,enquanto eu segurava o Lucas.

Eu – Nós nunca ficamos tanto tempo longe deles.

Mãe – A primeira viajem sem os filhos é sempre difícil,mas fiquem tranquilos,pois eu e o seu pai iremos cuidar bem deles.

O Raphael e eu passamos a noite no Copacabana Palace e no dia seguinte pela manhã, nós embarcamos em direção as Ilhas Maldivas.

Tudo lá era simplesmente lindo e depois de um longo dia de passeio,Raphael e eu comemos em um restaurante local e fomos para o nosso quarto de hotel.

O nosso quarto tinha uma janela enorme que dava vista para o mar iluminado pelos faróis,enquanto as luzes do nosso quarto estavam apagadas.

Raphael – Nossa que lindo.

Eu – Eu conheço uma certa pessoa que é mais linda que isso tudo.Sabia?

Raphael – Sério? Posso saber quem é essa pessoa?

Eu – É um garoto loirinho dos cabelos até a nuca,ele adora usar uma franja do lado esquerdo do rosto e tem olhos azuis lindos,além de uma boquinha bonita e um bundão grande que sempre me deixa exitado. Disse apertando a bunda dele.

Nós começamos a nos beijar e o Rapha tirou a minha camisa e começou a acariciar os meus gominhos,em seguida eu tirei a camisa dele e comecei a chupar aqueles mamilos que eu tanto gostava.

Em pouco tempo nós já estavamos sem roupa,o Raphael se deitou de barriga pra cima em cima da cama e nós ficamos na posição frango assado,enquanto a gente se beijava eu esfregava a cabeça do meu pau na porta do cuzinho dele que não parava de piscar.Eu comecei a empurar e foi entrando tudo aos poucos.Desde que os gêmeos nasceram Rapha e eu tinhamos menos tempo para fazer amor,então ele estava mais apertadinho rsrs.

Depois de ter entrado tudo eu comecei a bombar aos poucos,enquanto o Rapha gemia.

Raphael – Isso amor…enfia tudo vai.

Eu bombava com tudo naquele cuzinho apertado,enquanto eu metia eu beijava ele e chupava os mamilos dele e nós nos amavamos com aquela visão linda do mar na nossa janela.

O Raphael ficou de quatro e antes de comrçar a comer ele de novo eu comecei a encarar aquele bundão gostoso que eu amava.Eu logo comecei a comer ele novamente,até fazê-lo gozar e depois gozar dentro dele.

6 Meses Depois

Raphael Narrando

Aquele era um dia típico de domingo e o Hugo e eu estavamos sozinhos em casa com os gêmeos,enquanto eles brincavam quietinhos no cercadinho que nós tinhamos montado pra eles no tapete da sala,enquanto o Hugo treinava em frente a piscina e eu terminava de fazer o almoço.

Eu estava amando essa vida em família com os quatro homens da minha vida,Hugo,Lucas e Gustavo.Os meninos eram gêmeos idênticos e pareciam duas miniaturas do Hugo de tão parecido que eram com o pai,o Gustavo era mais agitado,enquanto o Lucas era mais quietinho.

Quem diria que eu com 18 anos estaria casado e com dois filhos.

Depois que o almoço ficou pronto eu fui até a área da piscina chamar o Hugo.

Eu – Vem amor,o almoço tá pronto.

Hugo – Oba,vou só tomar um banho e venho comer com vocês.

Eu – Eu já dei a papinha pros gêmeos,falta só nós dois almoçarmos mesmo.

Hugo – Nossa que maridinho prendado que eu tenho.Disse ele me beijando.

Eu – Vocês merecem.

Depois de termos almoçado o Hugo e eu ficamos deitados no sofá,enquanto os gêmeos dormiam no nosso colo.

Hugo – Se alguém me falasse que eu seria tão feliz assim um dia,eu não acreditaria.

Eu – Sério?

Hugo – Sim…eu tenho um maridinho lindo e gostoso que eu amo muito,dois filhos maravilhosos,um lar e um trabalho que eu amo.

Nós passamos o domingo inteiro juntos e grudadinhos e fomos dormir juntos durante a noite.

Eu estava quase pegando no sono,quanto eu sinto o Hugo me abraçando por trás e esfregando o pau duro dele em mim.

Eu – Ai amor,eu tô muito cansado.

Hugo – Vai ser rapidinho,eu vou botar só a cabecinha vai.

Eu – Você sempre vem com essa conversa fiada e acaba botando tudo.

Hugo – Dessa vez é sério amor.

Eu – Tabom…só a cabecinha

Eu abaixei o meu short e ele abriu a minha bunda e começou a esfregar a cabeça do pau dele na minha entrada e quamdo ele começou a enfiar os gêmeos começaram a chorar.

Hugo – Caralho tinha que ser agora.

Eu ia me levantar para cuidar deles quando o Hugo disse.

Hugo – Você já trabalhou muito hoje amor,deixa que eu tomo conta deles.

O Hugo foi cuidar deles e eu acabei pegando no nosso,antes que ele voltasse.

No dia seguimte foi uma segunda-feira e o Hugo e eu tinhamos duas funcionárias que nos ajudavam,a Cida que era a nossa empregada e a Joana que era a babá dos gêmeos e uma vez por semana o filho da Joana ia até a nossa casa para fazer a faxina,ele era um rapaz jovem que aproveitava as horas vagas da faculdade para fazer faxina e ganhar um dinheiro.

Quando era por volta das 21 horas eu estava sozinho em casa,pois p expediente da Cida encerra as 17 e o da Joana as 18 horas e o Hugo estava treinando na academia do Marck,pois ele teria uma luta no sábado e eu estava sozinho com oa gêmeos.

Eu estava dando mamadeira pra eles,quando o meu telefone começou a tocar e era a minha mãe.

Eu – Oi mãe tudo bem ai? O que? Calma eu tô indo ai agora.

A minha mãe estava passando muito mal e ela estava sozinha em casa e eu tinha que ir vê-la.Como eu não podia deixar os bebês sozinhos,eu coloquei eles na cadeirinha do carro e dirigi as pressas até a casa da minha mãe.

No meio do caminho o o meu carro foi cercado por outros três carros que vieram ao mesmo tempo de direções diferentes e deles sairam 6 caras armados com fuzís.

CONTINUA…

Eu Te Amo Porra – Capítulo 38

Andressa em uma atitude impensada,começou a enforcar Heitor e ele perdeu o controle do carro ao dar uma cotuvelada nela,então o carro capotou e caiu em um matagal perto de uma montanha com os dois desarcordados.

Heitor despertou primeiro que Andressa,ele estava bastante ferido,mas por sorte estava com o cinto de segurança.Ele conseguiu se soltar e saiu do carro o mais rápido que ele podia.

Enquanto isso a gasolina vazava do carro e ele explodiria a qualquer momento.Andressa acordou um pouco desnorteada,ao perceber que o Heitor perderia o controle do carro,ela colocou o cinto de segurança.Ela tentava se soltar do cinto,mas não estava conseguindo,até que ela viu um homem correndo em direção ao carro,ele estava de mochila e parecia estar fazendo uma trilha por aquele local.

Ele – Meu Deus! Fica calma eu vou tentar de tirar dai

Ele conseguiu soltar o cinto da Andressa e retirou ela do carro.

Andressa – Muito obrigada,muito obrigada. Dizia ela desesperada.

Ele – O meu nome é Gustavo,a gente tem que sair daqui antes que esse carro exploda.

Andressa estava com dificuldades para caminhar,então Gustavo pegou ela no colo e foi andando o mais rápido que pôde para a estrada e em pouco tempo o carro explodiu atrás deles.

Ao chegarem na estrada Gustavo ligou imediatamente para a emergência.

Gustavo – Eu tô precisando de uma ambulância urgente,aqui na estrada verde,tem uma mulher grávida que sofreu um acidente grave…o que? 10 minutos é muita coisa!

Enquanto esperava pela ambulância Andressa começou a sentir várias contrações.

Gustavo – Você tá sentindo dor?

Andressa – Eu acho que os meus filhos vão nascer.

Gustavo – Meu Deus do céu e agora?

Por milagre uma viatura da polícia passou na estrada na hora e Gustavo gritou pedindo socorro e um policial desceu da viatura e no seu distintivo estava o nome de Lucas.

Lucas – O que houve aqui?

Gustavo – Essa moça sofreu um acidente e parece que ela vai ter bebê agora.

Lucas – Entrem na viatura rápido!

Eles colocaram Andressa na viatura e foram correndo na direção do hospital mais próximo.O policial ligou a sirene e eles chegaram até o hospital rapidamente.

Gustavo assinou tudoque era necessário e a Andressa foi levada imediatamente para a sala de parto,Gustavo tinha pêgo o celular da Andressa e começou a entrar em contato com os familiares de Andressa.

Enquanto isso todos os médicos e enfermeiros presentes naquela sala,estavam pensando em um jeito rápido de salvar Andressa e os bebês.

Médico: Nós temos que começar uma cesária agora.

Eles começaram todo o processo para a cesária,mas Andressa estava tendo uma hemoragia muito forte e que estava ficando fora de controle.

Enfermeira – Doutor nós estamos perdendo a paciente.

Médico – Não tem saída…nós só podemos salvar a mãe ou os bebês.

Enfermeira – Então nós temos que escolher rápido!

Andressa estava um pouco sedada,mas tinha noção de tudo que estava acontecendo a sua volta e foi ai que ela disse.

Andressa – Salvem os meus filhos por favor…salvem os meus filhos,do que adiantaria eu ficar viva sem eles…salvem os meus filhos…

Hugo Narrando

Naquela manhã de sexta-feira eu estava no intervalo da faculdade,conversando com os meus amigos e o Rapha,até que eu recebo uma ligação de um número desconhecido.

Eu – Alô?

Pessoa – Oi o meu nome é Gustavo,o seu número tava na lista de emergência da Andressa,então eu tive que ligar…

Eu – Andressa? O que aconteceu com a Andressa?

Nesse momento todos pararam a conversa e prestaram atenção no que eu estava falando ao telefone.

Gustavo – Ela sofreu um acidente e foi levada para um hospital e os médicos tiveram que fazer um parto de emergência.

Nesse momento eu entrei em desespero,pois eu não queria que nada de ruim acontecesse com a Andressa e muito menos com os gêmeos.

Eu – Me passa o endereço do hospital que eu estou indo ai agora.

Raphael – Hospital? O que aconteceu?

Eu – A Andressa sofreu um acidente…não dá tempo de falar,eu tenho que ir pro hospital agora.

Raphael – E eu vou com você.

André – Eu também.

Todos os meus amigos decidiram ir para o hospital também,alguns foram no meu carro e os outros no carro do André.

Ao chegarmos no hospital eu fui direto pro balcão perguntar pela Andressa,quando eu fui abordado,por um rapaz que devis ter a minha idade e um policial.

Gustavo – Você é o Hugo?

Eu – Sim,eu sou o pai dos gêmeos.

Gustavo – A Andressa sofreu um acidente grave de carro na estrada verde.

Foi ai que o policial que tinha o nome de Lucas disse.

Lucas – Ao que tudo indica não era ela quem estava dirigindo o carro,porém o motorista não foi encontrado,mas uma equipe de investigação já foi mandada para o local.

Foi nesse momento que a mãe da Andressa,a Renata chegou.

Renata – Cadê a minha filha? Cadê a minha filha? Perguntou ela chorando.

Eu – A gente não tem muita informação até agora,mas pelo o que eu entendi a Andressa sofreu um acidente de carro e os médicos estão fazendo um parto de emergência.

Renata – Meu Deus do céu nãoo!! Gritou ela chorando.

Autor Narrando

Enquanto isso os médicos faziam uma cesária de emergência em Andressa.Logo um barulho de choro de bebê foi ouvido,logo após o nascimento do primeiro gêmeo.

Os batimentos cardíacos de Andressa estavam cada vez mais fracos e os médicos faziam de tudo para mantê-la viva.Logo mais um choro foi ouvido e o segundo bebê vinha ao mundo,enquanto Andressa perdia ainda mais as suas forças.

Enfermeira – Doutor nós estamos perdendo a paciente.

Os médicos e enfermeiros que estavam na sala fizeram de tudo para re-animar Andressa,mas infelizmente não conseguiram.

Médico – Horário do óbito,12:12 pm.

Hugo Narrando

Todos nós estavamos muito nervosos e anciosos por notícias,agora todos já haviam chegado,os meus pais,os pais do Raphael,a Alexandra e o Jonas e até o Sérgio e a Bárbara que estava grávida de 4 meses de uma menina.Todos estavam nervosos,mas nada se comparava ao desespero da minha ex-sogra Renata.

Eu fui beber água no bebedouro que ficava do outro lado da recepção do hospital,a minha cabeça estava fervendo de tanta preocupação.

Quando eu estava voltando para onde a minha família estava e ao ver Gustavo e o policial Lucas conversando,eu não pude deixar de agradecê-los.

Eu – Muito obrigado mesmo,vocês foram verdadeiros heróis.

Lucas – Eu não fiz mais do que a minha obrigação como policial,o verdadeiro herói é esse cara aqui. Disse ele colocando uma de suas mãos no ombro do Gustavo.

Lucas – Graças a Deus,ele tinha acabado de fazer uma trilha e estava saindo da floresta,quando viu o acidente.

Eu – Eu tenho uma dívida eterna com vocês a partir de agora e eu sei que esse é um gesto muito pequeno diante de tudo que vocês fizeram,mas se os meus filhos sobreviverem eu colocarei o nome de vocês nele.

Nesse momento o médico responsável pelo parto da Andressa chegou e todos foram até ele.

Renata – Doutor cadê a minha filha ela tá bem?

Médico – Bem…nós fizemos o possível…os gêmeos estão bem e não sofreram nenhuma sequela…mas a Andressa,ela veio a óbito logo após o parto.

Renata – Nãaaaooo !! Meu Deus…não. Ela gritava de forma desesperada.

Todos nós ficamos muito abalados com aquela notícia.

Todos nós precisamos de um tempo para digerir aquela notícia.

Renata – Eu posso ver a minha filha?

Médico – Venha comigo por favor.

A Renata foi ver o corpo da Andressa,enquanto eu e o Raphael fomos ver os gêmeos.

Eles estavam em uma sala isolada e nós só podiamos vê-los através do vidro.

Raphael – Olha só pra eles dormindo tranquilos…graças a Deus eles não tem noção da tragédia que acabou de acontecer.

Eu – Agora eles só tem a mim.

Raphael – E a mim também.Eu tô contigo nessa amor. Disse ele me abraçando.

Autor Narrando

Renata foi até a sala onde estava o corpo de Andressa e ao ver a sua filha,deitada e sem vida ela beijou o rosto de Andressa e começou a chorar.

Renata – Me perdoa filha…me perdoa…a culpa disso tudo é minha,se eu não tivesse de convencido a engravidar do Hugo nada disso teria acontecido. Disse ela em meio as lágrimas.

Renata – Me perdoa filha,perdoa a sua mãe.

Alguns Dias Depois

Raphael Narrando

Durante esses dias muitas coisas aconteceram,a Andressa foi enterada e os gêmeos já tinham sido liberados do hospital,eles estavam na casa dos pais de Hugo,enquanto o nosso apartamento não ficava pronto.

A minha única preocupação nesse momento era o Heitor a solta e por isso eu também estava na cobertura dos pais do Hugo junto com os gêmeos.Falando em gêmeos eles se chamavam Gustavo e Lucas em homanagem ao garoto e ao policial que salvaram eles.Os dois eram gêmeos idênticos e pareciam duas mini cópias do Hugo que estava todo bobo com os filhos,apesar de ser meio atrapalhado para cuidar deles.

Naquela madrugada nós estavamos dormindo tranquilamente,quando nós ouvimos um barulho de choro.

Hugo – Ai não acredito. Disse ele sonolento.

Então ele foi até o berço dos gêmeos que ficava do lado da nossa cama e pegou o Gustavo no colo e começou a ninar ele,mas o garoto não parava de chorar de jeito nenhum e o barulho dele,fez com que o Lucas acordasse.

Hugo – Meu Deua,só faltava essa.

Então eu me levantei e comecei a ninar o Lucas e alguns minutos depois os dois estavam dormindo.Eu ainda tinha um pouco de dificuldade de diferenciar o Gustavo do Lucas,mas no geral o Lucas era mais quieto e calminho,enquanto o Gustavo era mais agitado.

No dia seguinte eu e o Hugo acordamos completamente acabados,pois perdemos muito sono com a choradeira dos gêmeos.

Alguns Dias Depois

Finalmente o dia do meu casamento com o Hugo havia chegado e como já era de se esperar a minha mãe fez uma big festa. O casamento será no civíl e nós escolhemos como padrinhos Guilherme e Eliza,pois além de serem grandes amigos nossos,foi Guilherme que provou a inocência do Hugo em relação a história das fotos,o outro casal de padrinhos foi Alexandra e Jonas,pois além da Alexandra ser uma grande amiga o Jonas salvou a vida do Hugo e finalmente nós dois estavamos tendo uma relação de irmãos pela primeira vez.

Todos os convidados já eatavam no salão e eu estava super nervoso,enquanto a minha mãe terminava de me arrumar.

Mãe – Calma Raphael,você tá tremendo.

Eu – É que eu tô muito nervoso.

Mãe – Eu entendo,mas nervosismo não adianta de nada agora.

Minha mãe estava certa,eu precisava me acalmar antes que eu desmaiasse a caminho do altar.

Eu estava todo de branco,com exeção da minha gravata que é vermelha e os meus cabelos estavam penteados pra trás.Foi nesse momento que a Alexandra foi até a sala em que eu estava para dar o recado,ela estava linda,com um vestido vermelho que ia até os pés,era bem decotado nos seios e marcava bem a cintura e ela estava usando a famosa peruca loira.

Alexandra – Rapha nós padrinhos vamos começar a entrar agora,em seguida vem o Hugo e depois você.

Logo o meu pai entrou na sala onde eu e mamãe estavamos.

Pai – Vamos Raphael,já deu a hora.

Mãe – Vai lá Adamastor e segura firme,pois o Rapha está tremendo igual vara verde rsrs.

Eu atravesei o salão de braços dados com o meu pai e ao me deixar no altar ele abraçou o Hugo e disse.

Pai – Cuida bem do meu menino.

Hugo – Pode deixar sogrão.

Eu subi até o altar e comecei a encarar o Hugo,todos os nossos amigos estavam ali e os gêmeos estavam dormindo nos braços do André e do Marck.

A partir dali começava uma nova fase de nossas vidas.

CONTINUA…